29 de janeiro de 2007

O QUE É PRECISO PARA FAZER UMA PEÇA

Fazer teatro no Brasil é muito difícil. A maioria dos grupos não conta com patrocínio ou leis de incentivo. Um grupo realmente precisa QUERER MUITO que sua peça entre em cartaz.
Começando com a equipe necessária: atores, diretor, cenógrafo, figurinista, criador da trilha sonora, criador da luz, operador de som, operador de luz, preparador corporal, preparador vocal, cenotécnico, bilheteiro. Se houver algum tipo de luxo, entra também um produtor e um assessor de imprensa.
Depois da peça pronta começa a batalha por dinheiro: festas, vaquinhas, permutas, tentativas de patrocínio. E é claro, contamos também com o dinheiro da bilheteria, que normalmente fica em torno de 10,00 por pessoa (Sempre há a política de meia entrada no teatro, mesmo se a pessoa não for estudante). E esse dinheiro só serve para cobrir os gastos. Ou seja: Não se recebe (os atores) nenhum salário se não houver patrocínio ... Isso se o cenógrafo, figurinista e criador de luz e som forem bem bonzinhos e não cobrarem nada também...
Agora vamos para as contas de produção de uma peça simples:

- Aluguel do teatro (mensal): 3.000,00
- Diretor: 10% do valor da bilheteria
- Direito autoral: depende, pode ser 10% do total dos lucros
- Operador de luz e de som (por fim de semana):300,00
- Aluguel de equipamento de som e luz (mensal):300,00
- Assessoria de imprensa (por temporada): 2.000,00
- Cenário: 1.100,00
- Figurino ( pano e mão de obra): 150,00
- Adereços de cena: 100,00
- cenotécnico: 150,00
- Bilheteiro: 100,00
- Arte gráfica( programa, cartaz, ingresso, banner): 150,00
- Colocação do banner: 130,00
- cabos, fiação, parte elétrica: 70,00
- Alimentação da equipe técnica (semanal): 70,00
- Gráfica: 350,00
- Transporte de cenário: 140,00

E POR AÍ VAI...

Isso quer dizer que, para uma peça ficar em cartaz por um ou dois meses, é desembolsado mais ou menos 7.000,00 (!!!!!!!!!!)

Agora me respondam como é possível que grupos sem patrocínio sobrevivam dessa maneira?
É preciso muita vontade, muito amor e principalmente, muito trabalho.
E ainda temos que contar com a falta de público. Aconteceu duas vezes comigo até hoje e a sensação não é nada agradável. Sua peça está lá, divulgada em todas as revistas, na internet, no rádio... e mesmo assim tem dia que ninguém vai assistir...
E o preço dos ingressos? Uma peça de um grupo desconhecido não pode cobrar mais do que 20,00 a entrada inteira, pq. deixa de ser acessível. Porém, enquanto tentamos deixar o ingresso barato para o público comparecer, os atores acabam pagando para trabalhar.
Será que desse jeito é possível viver de teatro no Brasil? Poucos podem contar com as leis de incentivo, que acabam sendo muito fechadas aos grupos renomados ou aos artistas da televisão.

Mas mesmo com tudo isso, há alguma coisa que nos move, uma coisa que posso chamar de AMOR À ARTE.

2 comentários:

Luís Pereira disse...

Nossa Má ... O negócio é complicado mesmo. Tem que amar mesmo a arte.

Anônimo disse...

Muito dificil mesmo... '-'